Monday, August 23, 2010

O Projeto

CIDADES PHANTÁSTICAS

São Luís e ALCÂNTARA-MARANHÃO-BRASIL

Cidades PHANtásticas! é um projeto que tem como objetivo central a inclusão social através da comunicação e aborda a comunicação como um direito humano. A proposta do projeto é trabalhar com desenvolvimento humano-social através de oficinas de fotografia criativa e vídeo experimental, a partir do pensamento da comunicação no século digital – a democratização da informação pela filosofia da Internet 2.0. O público específico são jovens e adolescentes que habitam comunidades em cidades tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional.

O projeto Cidades PHANtásticas! foi desenvolvido dentro da filosofia do aprendizado transdisciplinar, portanto, é um projeto que lida com artes, educomunicação e novas tecnologias.

Apresentação:

Este projeto visa trabalhar o Patrimônio Histórico e Artístico Nacional por meio de oficinas itinerantes de fotografia criativa e vídeo experimental, através de um programa pedagógico integrado – fotografia, audiovisual, educomunicação informática, produção artística, instalações, intervenções urbanas e comunicação sócio-informática. Faz parte de uma rede intitulada “Imaginautas”, idealizado pelo designer e videoartista GHustavo Távora.

Essas oficinas pretendem motivar e incentivar o desenvolvimento do processo filosófico-criativo da pessoa humana, que já interage com as novas tecnologias de imagens e plataformas digitais de comunicação.

Desta forma, estaremos agregando valor ao uso da Internet e das novas tecnologias e software de imagens, voltando-as para o desenvolvimento humano-social, integrando arte, comunicação, educação e filosofia. No processo sincrônico de implementação das oficinas, desenvolvem-se momentos de formação, pesquisa, registro histórico e difusão – mostras, exposições, intervenções urbanas etc.

O patrimônio contemplado enquanto objeto e sujeito para dar início a este processo artístico-pedagógico é o sítio urbano tombado das cidades de Alcântara e São Luís, no Maranhão, onde o IPHAN, através do Projeto Monumenta, vem desenvolvendo um amplo programa de revitalização e educação patrimonial.

Partindo de uma percepção da cidade brasileira enquanto um sítio plural, onde tanto presente e passado quanto local e global se entrelaçam no cotidiano para formar as identidades tanto das pessoas como das coisas, visa-se aqui fomentar a reflexão em torno do pensamento sobre o Patrimônio – preservação e sustentabilidade - e a produção artístico-cultural de uma maneira que permita gerar produtos artísticos inovadores alinhados com o pensamento da comunicação no século digital, em seu diálogo com as narrativas históricas.

A partir deste processo integrado de ações educomunicativas, artísticas e colaborativas, desejamos proporcionar “novos conhecimentos” à adolescentes e jovens dessas Cidades, que necessitam de investimentos em ações para transformação social a partir do resgate do pensamento lúdico e do sentimento de pertença. Acreditamos que filosofia, arte e educomunicação são canais que podem levar a Comunidade a agir colaborativamente, em prol do cuidado com a Cidade, com o meio ambiente, entre si.

Unindo os universos das “Artes Visuais” e “Educomunicação” , o projeto “Cidades PHANtásticas do Brasil”, oferece ao IPHAN a oportunidade de se criar todo um “Sistema Emaranhado de Comunicação” , a produção colaborativa de um “Memorial Patrimonial Nacional”, as Cidades com suas identidades formadas à partir dos sentimentos, percepções e olhares de quem nelas habita.

Sugerimos que a produção de todo esse sistema educomunicativo e artístico sirva como conteúdo “info-didático” e juntamente com o material educativo que o IPHAN desenvolve neste momento, tornem-se um potencial sistema de informações voltadas para alimentar o diálogo dentro do processo de “ensino-aprendizagem” das instituições que irão utilizá-los.


É imprescindível que hoje, o método de “ensino-aprendizagem” agregue a informática e as tecnologias audiovisuais, para adequar-se à linguagem contemporânea de comunicação interativa - internet 2.0.

Objetivos gerais e específicos:

>>>Estimular e orientar o diálogo simbólico entre comunidade e os sítios urbanos de Alcântara e São Luís, por meio de oficinas de fotografia criativa e vídeo experimental alinhados com o pensamento da comunicação no século XXI.

>>>Estimular o pensamento criativo das Pessoas para produção em artes visuais, como também motivar produção artístico-colaborativa através de mostras e intervenções urbanas.

>>>Produzir um “Sistema Info-didático” sobre Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Este sistema é um emaranhado de linguagens e tecnologias. Banco de imagens, fotoartes, videoartes, videodocs, vídeos educomunicativos, blogsfera, e uma Rede Sócio-Informática – Cidades PHANtásticas. Todo esses sistema info-didático deve servir com extensão interativa do material didático impresso que o IPHAN desenvolve neste momento.

>>> Realizar mostras públicas de artes visuais educomunicativas – intervenções urbanas – ruas, praças, escadarias, ladeiras, fontes etc - onde mostramos a produção das oficinas, como também a produção de outros projetos e artistas que lidam com questão Patrimônio Histórico e Artistico Nacional.

>>> Levar de uma cidade para a outra a produção artística e educomunicativa da cidade anterior, para gerar intercâmbio cultural.

O projeto é baseado em 4 pilares básicos que são:

  1. Formação: Serão oferecidos oficinas em fotografia criativa e vídeo experimental quando os educandos irão desenvolver habilidades no manuseio em novas tecnologias tais como: uso de aparelho celular e câmeras digitais. A usabilidade de tais ferramentas será feita de forma consciente e eficiente, pois o objetivo da oficina é estimular e desenvolver o pensamento criativo e filosófico do educando para aplicar as novas tecnologias. Após esse processo de desenvolvimento da criatividade e da consciência sobre o inteiro processo da comunicação, iremos partir para o momento da FOTOGRAFIA CRIATIVA. As Pessoas irão criar artes fotográficas usando software de edição de imagens. Após trabalhar a fotografia criativa, aprenderão a construir “narrativas imagéticas multimidiáticas” (vídeo experimental) e aprender como alocar sua arte na plataforma digital, sendo assim incluídos na comunicação GLOBAL. Obs: Para avaliar os resultados de criação das oficinas anteriores do autor do projeto, acessar www.imaginautas.ning.com
  1. Difusão: Ao final de cada oficina será gerada uma mostra coletiva de artes - o Happening Hours _São Luís, Cidade PHANtástica quando iremos montar uma mostra com a produção de fotografia criativa Imaginautas como também a projeção do material audio-visual. O evento agrega: fotografia, audio-visual, discotecagem, instalações urbanas e performances – material desenvolvido pelo projeto Cidades PHANtásticas!

Além da mostra coletiva de artes, iremos criar uma Rede Sócio-Informática, onde apresentaremos a produção imagética e audiovisual, como também as pesquisas realizadas pelos Workshops.

  1. Inclusão: Uma vez que a produção será difundida a partir dessas ações culturais geradas pelo Cidades PHANtásticas! as pessoas viverão um momento especial de serem vistas como “artistas”. Provavelmente iremos gerar um sentimento de satisfação Pessoal e também de orgulho próprio. Objetivamos fortalecer a auto-estima da Pessoa através da arte a da filosofia. Acreditamos que através da arte, podemos atuar no resgate da identidade lúdica de cada Pessoa, como também o fortalecimento do seu papel na construção do ‘todo’ social.
  1. Registro Histórico: É verdade que todo o equipamento utilizado na oficina é amador, e o software utilizado também é de baixa complexidade, porém o resultado estético dos criações podem ser fascinantes! A partir de incursões e pesquisas sobre Patrimônio Histórico e Artístico de São Luís e Alcântara e todos os temas adjacentes, iramos gerar um “Memorial Imagético-informático” de São Luís, registrando os momentos de transformação da Cidade hoje e também divulgando sua potencial beleza turística, como também gerarmos um movimento de resgate de cidadania e consciência de preservação do Patrimônio.